\

Sejam bem vindos. O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais, em especial acerca dos direitos e luta da juventude e dos trabalhadores, inclusive, mas não só, desde o ponto de vista jurídico, já que sou advogado.

sábado, 24 de janeiro de 2009

CAPITALISMO SELVAGEM - DENÚNCIA: MESMO COM 15 BILHÕES DE DOLARES EM CAIXA, A VALE FECHA MINA E DEMITE TRABALHADORES



A Vale anunciou ao Sindicato Metabase, e em reunião dentro da mina com os trabalhadores, o fechamento durante o mês de fevereiro da Mina de Fábrica, em Congonhas (MG).
A maioria dos trabalhadores entrará em férias coletivas, outros serão remanejados para a Mina do Pico, Vargem Grande ou para as ferrovias da MRS, onde foram demitidos 200 trabalhadores.
O fechamento da mina faz parte da política da empresa de redução da produção devido à queda na demanda do minério de ferro na crise econômica. A Vale já demitiu mais de 1300 trabalhadores diretos e incontáveis funcionários de terceiras (80% desses em Minas Gerais), além de estar colocando 5.500 trabalhadores em férias coletivas em todo o Brasil.
"É inadmissível que a Vale feche a Mina de Fábrica e semeie pânico entre os trabalhadores. A empresa tem US$ 15 bilhões de dólares em caixa e tem a obrigação social de manter todos os seus funcionários durante a crise econômica. Seu valor multiplicou 40 vezes em 10 anos, e nada disso foi repassado ao trabalhador. Agora que chegou a época das vacas magras, ela quer socializar as perdas." declarou Valério Vieira, Presidente do Sindicato Metabase (Extração de Metais Básicos) de Congonhas, Ouro Preto e região do Inconfidentes.
A Vale gastou recentemente US$ 300 milhões de dólares comprando os ativos de minas de carvão na Colômbia. Ao mesmo tempo, estava demitindo e suspendendo contratos de trabalho.
Na quinta-feira, 15 de janeiro, houve reunião entre o Sindicato Metabase Inconfidentes e representantes da Vale. Nessa reunião a empresa não disse nada a respeito do fechamento da mina, afirmando que fecharia apenas a pelotização para manutenção. A empresa apresentou uma proposta de acordo que autorizaria a empresa a suspender qualquer contrato de trabalho por 5 meses. O sindicato rejeitou-a categoricamente.
"A empresa foi desleal e irresponsável. Na semana passada eles sabiam que iriam fechar a mina e não nos avisaram para pegar o sindicato de surpresa." complementou Valério.
No dia 22 de janeiro, quinta-feira, o Sindicato realizará uma manifestação no centro da cidade de Congonhas, junto ao Fórum Regional contra as Demissões. O ato será no Quarteirão Açominas, e sua concentração se inicia às 16h.
Participam do Fórum Regional Contra as Demissões o Sindicato Metabase de Congonhas, Ouro Preto e Região, o Sindicato das Estradas de Ferro de Conselheiro Lafaiete, o Sindicato dos Trabalhadores do Município de Congonhas, a Associação dos Aposentados de Congonhas, a UNNACON - União das Associações Comunitárias de Congonhas e muitas outras entidades. Participam também os Deputados Padre João (PT) e Carlin Moura (PCdoB), além dos prefeitos e vereadores de Congonhas, Conselheiro Lafaiete, Ouro Branco, Entre Rios, Belo Vale e São Brás do Suaçuí.

FONTE: A Voz dos Mineiros - publicação do Sindicato Metabase Inconfidentes - Conlutas

Nenhum comentário:

Ultimas postagens