\

Sejam bem vindos. O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais, em especial acerca dos direitos e luta da juventude e dos trabalhadores, inclusive, mas não só, desde o ponto de vista jurídico, já que sou advogado.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Sobre minha posição sobre o segundo turno das eleições presidenciais de 2014 (minha declaração de voto ou Porque voto nulo no Segundo Turno):

pt psdb

O PT é um bom gerente do capitalismo. O PSDB que quer o cargo, novamente (de gerente maior do capitalismo brasileiro, isto é, a presidência da república, ainda que frente ao petismo (e com a experiência de Aécio Never no governo de Minas) mostra-se mais incompetente.

A verdade é que o PT (antes mesmo do Lula ganhar para presidente) deixou ser o que as pessoas creditam à esquerda faz tempo, isto é, mudanças radicais na sociedade, ataque aos privilégios da elite, reforma agrária radical, expropriação de capitalistas, etc. Hoje, ainda mais depois de quase doze anos a frente do governo, com grande parte de seus militantes dentro das estruturas do estado (cargos de terceiro e quarto escalões) é apenas mais um partido da ordem que, como eu já disse, procura governar com competência (mas nos limites do capitalismo e sem romper ou melhor atacar os privilégios daqueles que sempre estiveram por cima).

Sim o PT, neste ponto de vista é apenas mais um gerente da sociedade capitalista, um bom gerente, que deixa tudo muito bem organizado, funcionando para que os de cima continuem por cima e os de baixo, fiquem por baixo, com a ilusão de que tudo esta melhor, por meio de algumas reformas, algumas melhorias (bolsa família, farmácia popular, minha casa minha vida) dentro do limite do sistema, que servem tão apenas para dar possibilidade dos de cima continuar com a exploração dos de baixo, sem a ocorrência de explosões sociais que venham questionar todo o sistema.

Entretanto, não me vejo obrigado em escolher quem vai melhor gerenciar o capitalismo brasileiro de formar a manter a exploração dos trabalhadores deste país.

No primeiro turno tínhamos três opções de candidaturas que defendiam um viés diferente de sociedade, que apresentavam uma visão de mundo, que não se resumia ao bom gerenciamento do capitalismo, mas de traziam propostas que iam no sentido de defender direitos dos trabalhadores e atacar os privilégios da elite econômica brasileira. Traziam propostas que permitia vislumbrar um caminho para um novo modelo econômico de sociedade, que não a capitalista.

Refiro-me às candidaturas de Zé Maria do PSTU, a qual apoiei, e as candidaturas de Mauro Iasi do PCB e de Luciana Genro do PSOL que vi com bom olhos.

Assim, neste segundo turno, não tenho dúvidas, como não quero semear quaisquer ilusões seja num governo de Dilma, seja no improvável (mas possível) governo de Aécio, voto e defendo o voto nulo.

Ultimas postagens