\

Sejam bem vindos. O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais, em especial acerca dos direitos e luta da juventude e dos trabalhadores, inclusive, mas não só, desde o ponto de vista jurídico, já que sou advogado.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Iminência de conflito no Norte de Minas Gerais revela urgência da Reforma Agrária no Brasil.

Belo Horizonte, 11 de abril de 2012.

Os movimentos da Via Campesina - MST, MAB e CPT -, em Minas Gerais, vêm através deste Comunicado expressar a necessidade de uma Audiência Pública que será realizada no próximo dia 12 de abril de 2012 na cidade de Jequitaí, no Norte de Minas. A audiência será realizada em caráter de urgência devido ao conflito que está estabelecido no município de Jequitaí entre as famílias do Acampamento Novo Paraíso do MST e o latifúndio da região.

O latifúndio está atuando através da presença de jagunços na Fazenda Correntes há mais de 15 dias, ameaçando as famílias que lutam pelo seu direito à terra, procurando impedir qualquer processo de desapropriação das muitas terras improdutivas no município. A fazenda Correntes pertence à família Azeredo e já foi palco de denúncias de trabalho escravo, de milícias armadas, sendo que a própria Polícia Federal já realizou busca e apreensão na fazenda, encontrando armamento pesado de uso do exército que estava sendo utilizado pelas milícias. A fazenda está abandonada e não possui qualquer tipo de produção.

Há quatro anos atrás, a Fazenda Correntes foi ocupada e logo após desocupada por trabalhadores e trabalhadoras do MST, já foi vistoriada pelo INCRA e há um processo de desapropriação em andamento. Jagunços se encontram hoje fortemente armados na sede da fazenda. Eles foram vistos por populares na sede da fazenda, no galpão e na antiga usina e na mata ao redor da sede e na mata perto do Acampamento Novo Paraíso (encapuzados!), que existe há seis anos e ocupa a área da fazenda Ferroligas. Neste acampamento moram aproximadamente 80 famílias que transformaram a antiga fazenda abandonada em uma comunidade onde se produz alimentos, onde existe uma escola de primeiro a quinto ano e onde estudam turmas de Educação para Jovens e Adultos.

Na madrugada do dia 10 de abril de 2012, por volta de uma hora da manhã, Policiais Militares de Pirapora estiveram no acampamento Novo Paraíso. Chegaram com sirenes desligadas, fortemente armados, de forma muito truculenta, ameaçando as famílias, caso elas viessem a ocupar a fazenda Correntes ou fizessem qualquer outra ação no município. O tenente que não quis revelar seu nome, afirmou que a PM está disposta a defender a fazenda Correntes para que esta não seja ocupada por famílias do MST. Mesmo sem mandado judicial, o tenente ameaçou prender as lideranças do MST que questionaram fortemente a sua presença no local. Viaturas continuaram durante a madrugada na fazenda Correntes e durante o dia.

Na mesma noite, um morador da cidade de Jequitaí que passava pela fazenda Correntes foi abordado por quatro Blazers, foi acusado de ser Sem Terra e foi fortemente ameaçado. Este morador conseguiu convencer que não faz parte do MST e foi liberado em seguida. A informação é que havia 4 Blazers, sendo que uma foi vista próxima ao lado do acampamento durante toda a noite. Há suspeita de que policiais militares estavam rodando nesta Blaser.

Por estes motivos, o MST, juntamente com a Via Campesina, está organizando uma Audiência Pública no dia 12 de abril, para denunciarmos a violação de direitos dos Atingidos pela Barragem do projeto Jequitaí da CODEVASF, os massacres ocorridos há dezesseis anos em Eldorado dos Carajás e a o latifúndio improdutivo chamado Fazenda Correntes.

Rememoramos em mais um Abril Vermelho os 21 Sem Terra que foram assassinados e 69 ficaram gravemente feridos em Eldorado dos Carajás, assim como os massacres de Felisburgo, onde 5 trabalhadores Sem Terra foram assassinados dentro do próprio acampamento. Também denunciamos a execução de três trabalhadores Sem Terra no Triângulo Mineiro. E assim poderíamos lembrar do massacre de Corumbiara e de outros tantos que aconteceram que se escondem atrás da injustiça e do manto da impunidade. Temos grande receio que aqui, em Jequitaí, possa se repetir mais um triste massacre.

Também exigimos que haja uma busca imediata na fazenda Correntes para investigar os fortes indícios de jagunços armados ameaçadores das vidas dos Sem Terra da região do Norte de Minas.

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST

Comissão Pastoral da Terra - CPT

Movimento dos Atingidos por Barragens - MAB

Contatos no local: MarIli Zacarias, Cel. Tim: 38-98221386 / Samuel Santos 38-99123050

Obs.: No ano de 2012 o Massacre de Eldorados dos Carajás no Pará completa 16 anos.

O Massacre de Felizburgo em Minas Gerais completa nesse mesmo ano 8 anos.

Um abraço afetuoso. Gilvander Moreira, frei Carmelita.
e-mail: gilvander@igrejadocarmo.com.br
www.gilvander.org.br
www.twitter.com/gilvanderluis
Facebook: gilvander.moreira
skype: gilvander.moreira

Ultimas postagens