\

Sejam bem vindos. O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais, em especial acerca dos direitos e luta da juventude e dos trabalhadores, inclusive, mas não só, desde o ponto de vista jurídico, já que sou advogado.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

CARTA ABERTA À JORNALISTA DANIELA BRITO–uma reflexão dura, mas necessária.

Daniela Brito, lamento a nota publicada na coluna da Sra. Lidia Prata, sob sua responsabilidade, no Jornal da Manhã deste dia 28.06.2013.. Refiro-me à seguinte nota:

“Estatização
Ainda sobre o movimento uberabense, que nasceu puro, já tem gente se infiltrando para ‘pegar carona’. Ex-candidato a prefeito tem agendado reuniões, publicado .opiniões no Facebook e vem até mesmo doutrinando adolescentes. Uma das propostas dessa turma é a criação da companhia municipal de transporte público, ou seja, por eles o município assumiria o transporte. Já pensou?”

Com todo respeito que sempre nutri por você e até mesmo amizade, não posso deixar de opinar sobre tal texto, pois ele é típico do jornalismo tacanho que não é feito para informar, mas sim para atender interesses escusos, normalmente não defendidos pelos donos dos jornais. Chego a me questionar se ele realmente é de sua autoria!

Não conheço outro ex-candidato a prefeito senão eu, que vem participando dos movimentos contra o aumento das passagens e por direitos sociais em Uberaba. A nota em comento foi endereçada, ainda que de forma dissimulada, à minha pessoa. Não é questão de vestir carapuça, pois para quem sabe ler pingo no i é letra, como diz o ditado popular.

Assim, em nome do jornalismo ético, que você sempre praticou, antes de publicar uma nota que macula minha imagem perante a sociedade de Uberaba, seria de bom tom QUE OUVISSE MINHA VERSÃO DOS FATOS. Afinal, como um profissional liberal que sou, dependo de minha imagem para ter clientes. Sou advogado, para quem não sabe e pois vivo do fruto de meu trabalho. Uma notícia como a publicada por você, ainda que tenha como base “fontes confiáveis” pode destruir a imagem perante de qualquer pessoa no meio social em que ela vive.

Para seu conhecimento e daqueles que encomendaram a mencionada nota, em momento algum “peguei carona” no movimento. Ao contrário, como PRESIDENTE da Comissão de Movimentos Sociais da OAB em Uberaba e dirigente da Central Sindical (não governista) CSP-Conlutas, fui convidado, antes mesmo da realização do primeiro ato, para participar do movimento, dando-lhe suporte jurídico e, ainda, para angariar apoio material para o mesmo junto às organizações sindicais.

Meu contato com os organizadores das manifestações se dá na qualidade de advogado do movimento sindical e popular e tenho prestado assessoria jurídica aos mesmos, pro bonno (sem cobrar honorários). Em face deste trabalho, por exemplo, consegui com o comandante da PM em Uberaba o compromisso de que as tropas do Batalhão de Choque não fossem às ruas, quando da realização das Manifestações, salvo se houver distúrbios, e, ainda que P2 não se infiltrassem, entre os manifestantes (ainda que tudo indica que esse último compromisso não vem sendo observado pela PM). Consegui, também, organizar para as duas manifestações, um aparato jurídico preventivo para atuar em caso de eventuais prisões arbitrárias pela PM, o qual não foi necessário ser acionado, pelo caráter pacífico das mesmas. Por fim, intermediei, junto ao movimento sindical, a impressão de uma série de panfletos que foi repassado aos jovens do movimento, para convocação de suas manifestações.

Então, prezada Daniela, não sou nenhum oportunista que está influenciado negativamente a juventude, como sua Nota afirmar. Você, ainda mais sendo uma jornalista experiente, não pode negar, que em todas as lutas sociais que se deram em Uberaba, nos últimos 20 anos, estive presente, porquanto milito em um partido que tem como estratégico, não a participação nas eleições, mas a participação no movimento popular, com seus militantes ajudando ativamente nas lutas dos trabalhadores e da juventude, respeitando as deliberações e instâncias do movimento. Você deve se lembrar que nas últimas eleições estadual e municipal, sequer fui candidato a qualquer cargo e que, quando participei de eleições, as candidaturas por mim sustentadas defendiam exatamente que a população fosse às ruas lutar por seus direitos!

Assim, agora que o povo vai às ruas, não posso ficar calado em face de uma nota que se levada ao pé da letra significa que eu, ou qualquer militante de esquerda, não tenho direito de participar dos movimentos sociais! Com todo o respeito,, tenho que chamar as coisas pelo seu nome e, ainda que essa não tenha sido sua intenção, sua nota reproduz um pensamento fascista e reacionário!

Finalmente, vejo que precisamos conversar sobre a questão do transporte público coletivo. Ele é obrigação do munícipio, sendo prestado por particulares por concessão. Em outras palavras, o munícipio, perfeitamente e dentro das leis vigentes, pode prestar o serviço de transporte público coletivo diretamente, por meio de uma empresa pública.

Compreendo o ranço de defensores do capital a essa proposta, mas não consigo entender sua aversão a ela. Veja o caos que se encontra o transporte público no país. Ele decorre, em grande parte, do fato de que no modelo de concessão à particulares, as empresas de transporte coletivo visam, antes de tudo, gerar lucro para seus proprietários. Numa empresa pública, ao contrário, pode-se perfeitamente ser realizada a cobrança de uma tarifa socialmente justa, ao contrário do atual modelo, onde se esfolia os usuários, para garantir o lucro de empresários gananciosos.

Mas essa não é uma proposta minha. É uma proposta constante da CARTA DE REIVINDICAÇÕES apresentada pelo MOVIMENTO ao prefeito de Uberaba, sendo ela, também, uma reivindicações dos manifestantes em várias cidades do país. O Movimento, em Uberaba, defende, para evitar as politicagens no setor, que a empresa a ser criada seja controlada pelos trabalhadores e usuários! Ela é apenas uma das propostas que serão debatidas na Audiência Pública sobre o tema, marcada para semana que vem, pois o movimento defende, também, para ficar apenas no transporte coletivo, o passe livre aos desempregados, estudantes e idosos, além da melhoria da qualidade nos serviços prestados, acabando com as superlotações dos ônibus e a dupla função para motoristas, medidas que você, que é uma pessoa inteligente e pode perceber, ataca o lucro dos donos das empresas privadas.

Por fim, quero dizer que não guardo rancor de você e espero que não o guarde de mim. O jornalista está entre a cruz e espada. Não são poucos que se enfrentam com editores e proprietários de jornais inescrupulosos que querem distorcer os noticiários para agradar os donos do poder e a classe social que eles defendem. Torço para que você se sagra vitoriosa sempre nessa batalha, para que notas lamentáveis como a que eu aqui critico sejam uma exceção que nunca mais seja repetida em sua brilhante carreira, que não é e nunca foi daqueles que agem como um vassalos rastejantes, para defender interesses do seu patrão e da classe social que ele defende.

Continue sendo uma jornalista pautada na ética , compromissada com a verdade e com os movimentos sociais.

Sem mais.

Sem mais.

Adriano Espíndola Cavalheiro

Advogado e ativista do movimento social, militante do PSTU e presidente da Comissão de Movimentos Sociais da OAB Uberaba

PS: A direita reacionária, o serviço de P2 da PM (cujo três agentes desmacarei infiltrados, por mais de uma vez, entre os manifestantes), falsas lideranças da juventude (essas sim infiltradas), defensores dos interesses dos proprietários de ônibus, parte dos patrões que já processei nesses 15 anos de advocacia por sonegação de direito de trabalhadores, estão tentando cercear meu direito democrático de manifestação e, ainda, de atuar profissionalmente, como advogado do movimento. Esses canalhas não passaram impunes. São eles que usaram da sua nota, inclusive, para ameaçar-me fisicamente. Sou advogado, sou ativista do movimento social, sou dirigente da comissão de Movimentos Sociais da OAB, sou militante do PSTU.  Esses canalhas não me calarão, porque antes de mais nada, eles tem aversão não a mim, mas sim ao ideário que sustento. Esse ideário, para o desespero dos reacionários, tem ganhado às ruas, mesmo que os canalhas tentem impedir a presença de nossas bandeiras e nossa participação.  Infelizmente sua nota esteve a serviço deste tipo de gente!

Leia também:

RESPOSTA DE MÁRCIO GENNARI, EDITOR DO JM, À CARTA ABERTA À DANIELA BRITO
MINHA RESPOSTA À CARTA RESPOSTA DE MÁRCIO GENNARI

2 comentários:

CláudiaSadú disse...

Muito dificil e complicado .Lamento muito .

Valéria Vieira Lopes disse...

Adriano,
Era previsível que atitudes como esta surgissem em nossa terrinha, mas quero te dizer que, EM NADA, prejudicam sua imagem. Ao contrário, só fazem enaltecer uma carreira ética e sempre envolvidas por lutas honestas pelo bem dos cidadãos.
Lutas com as quais nem sempre concordei mas SEMPRE ADMIREI A OUSADIA E LUCIDEZ.

Ultimas postagens