\

Sejam bem vindos. O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais, em especial acerca dos direitos e luta da juventude e dos trabalhadores, inclusive, mas não só, desde o ponto de vista jurídico, já que sou advogado.

domingo, 15 de novembro de 2009

Uniban: Machismo produto do capitalismo a serviço de sua manutenção

Amigos e amigas,

Muito se falou do caso de Geysa, a estudande vítima de uma das maiores demonstrações de machismo na sociedade brasileira e suas instituições dos últimos 20 anos.

Entretanto, pouco relacionaram o episódio à busca descomedida do lucro, o que na verdade é o que explica o que assistimos na Universidade título deste post.

Abaixo, trago dois textos que tratam a questão à partir desta perspectiva.

Boa Leitura.

Adriano Espíndola

=-=-=-=-=-=-=-

Texto 1

Movimento de Mulheres em Luta manifesta-se contra atitude da Uniban no caso Geyse

Nós, do Movimento Mulheres em Luta, nos manifestamos contra a atitude da Universidade Bandeirantes (UNIBAN), quando no último domingo publicou nos jornais de circulação de São Paulo, a expulsão de Geyse Arruda. A aluna fora humilhada e insultada por cerca de 700 alunos, havendo necessidade da intervenção policial, simplesmente porque, segundo seus inquisidores, estava vestida inadequadamente para o ambiente universitário - trajava um vestidinho cereja, curto demais. Para surpresa geral a aluna fora julgada e condenada pela instituição numa atitude reacionária, hipócrita, ou seja, de vítima Geyse tornara-se culpada devendo pagar por seu crime. A ela a expulsão, aos que a insultaram a suspensão.

Leia o restante do texto 1 no site da Conlutas, clicando aqui

=-=-=-=-=-=-=-

Texto 2

Jurassic Park

Por João Paulo da Silva
Parece que, por mais que o tempo avance, ainda existem situações e setores sociais que insistem em nos puxar para o buraco, para o retrocesso. Algo como um retorno a épocas remotas, medievais, jurássicas até. Acho, inclusive, que há pessoas que adorariam voltar para dentro das cavernas. O caso da estudante de Turismo da Uniban, Geisy Arruda, agredida por usar um vestido curto dentro da universidade, é um daqueles exemplos que nos faz reviver os tempos do “uga-buga”. Mas não é só isso. Lamentavelmente, a barbárie de São Bernardo do Campo revelou – da pior forma possível – que a violência machista segue nos perseguindo e perturbando, como uma espécie de sombra do grotesco.

Leia o restante do texto 2, no blog  do João, clicando aqui

Nenhum comentário:

Ultimas postagens