\

Sejam bem vindos. O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais, em especial acerca dos direitos e luta da juventude e dos trabalhadores, inclusive, mas não só, desde o ponto de vista jurídico, já que sou advogado.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Anderson Adauto, réu no processo do mensalão, persegue imprensa em Uberaba/MG

Anderson Adauto - político mineiro que se notabilizou nacionalmente por ser um dos réus do escândalo do mensalão , quando foi Ministro do Transportes no primeiro governo Lula – há cerca de seis anos é prefeito de Uberaba, minha tranquila e amada cidade de médio porte do interior de Minas Gerais, na qual vivo desde o início de minha adolescência.

Pois bem, se nacionalmente Anderson Adauto  se notabilizou por seu envolvimento em corrupção, em Uberaba (além de processos que responde, também, adivinhem, por corrupção) tem se notabilizado por adotar posturas extremamente antidemocráticas, chegando a ser comparados, por muitos, como um ditador.

Aqui, além de ter mantido, praticamente durante todo o  seu primeiro mandato à frente da prefeitura, uma relação desrespeitosa com o Sindicato dos Servidores Municipais, a qual só cessou quando ele conseguiu, na renovação da diretoria daquele sindicato, emplacar uma direção chapa branca para tal sindicato (poucos dias depois de eleito, o novo presidente do sindicato foi nomeado, por Anderson, para um cargo de confiança – a presidência do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais), tem imposto medidas polêmicas como a adoção (compra) de apostilas, confeccionadas por um colégio particular, na rede de ensino municipal, em detrimento do livro didático do governo federal; a construção de um hospital regional junto a um dos cemitérios da cidade (ainda que por aqui o que não falte são áreas disponíveis para a construção do referido hospital); a tentativa de vender (isso mesmo vender), para a construção de um estacionamento de um novo shopping ou para construção de um condomínio residencial, uma área verde da cidade (um bosque que seria destruído, sob o argumento que a localização desta, quase no centro da cidade, teria o valorizado muito, do ponto de vista imobiliário. Foi, pelo menos por ora, derrotado em sua intenção de venda, em face das mobilização popular); A ampliação, para bairro populares e em torno de hospitais públicos, da área azul  (área de estacionamento, na rua,paga); a perseguição, em conjunto com outros órgãos, dos produtores e comerciantes de queijo minas (a produção e comércio de queijo minas está extremamente ameaçada em Uberaba); A ampliação da área de plantio de cana (Anderson é canacultor, creio que, inclusive, sócio de usinas de cana de Uberaba e região).

Na verdade os desmandos de Anderson não são sé esses, eles ultrapassariam os limites de post, valendo destacar, entretanto, os baixos salários pagos aos servidores municipais e o alto número de deserção em seu secretariado,  em face da forma desrespeitosa com a qual ele trata as pessoas.

A última de Anderson Adauto: Ainda que seja lugar comum dos políticos brasileiros atacar a imprensa, o prefeito de Uberaba, chegou ao cúmulo de atacar moralmente os jornalistas e de tentar impedi-los de exerceram a profissão, numa demonstração nua e crua que, aqueles que o acusam de ditador, entre os quais me perfilo, estão cobertos de razão.

Primeiro Anderson Adauto, descontente com a cobertura realizada pela Jornalista Gê Alves, do Jornal da Manhã - um dos jornais diários de Uberaba – acerca de denúncias de maus tratos a menores e corrupção num centro de recuperação de menores gerido pela prefeitura , passou a dar declarações desqualificando a referida jornalista pessoal e profissionalmente, numa demonstração de arrogância, desiquilíbrio e despreparo.

Agora, Anderson Adauto, volta sua metralhadora antidemocrática, contra a jornalista Élvia Morais, da Rádio Sete Colinas. 

Isso porque, sob a desculpa de buscar investimentos internacionais e tecnologia, Anderson Adauto, com sua comitiva, empreendeu viagem internacional, passando pela China e outros países Asiáticos e pela Europa (onde se encontrou, segundo a imprensa,  com sua mãe, em Portugal, para pagar uma promessa religiosa). Na China, visitou fábricas de cimento,  para conhecer e apresentar à  unidade instalada em Uberaba da Vale (Valefértil) - como se essa empresa não tivesse pessoal para tanto - produzir cimento a partir do gesso, subproduto da produção industrial da Vale em Uberaba. A Vale, destaco, já respondeu, depois da viagem: “não obrigado, já temos projeto para destinar o referido gesso”.

Élvia e a equipe de jornalismo da Sete Colinas, foi uma das jornalistas que questionou  a excursão internacional de Anderson Adauto, inclusive quanto aos seus gastos e seus resultados.

Agora, cerca de dois meses depois de sua empreitada turística empreendedora, nosso querido prefeito Anderson Adauto (hehehe) convocou coletiva para prestar constas do gastos. Entretanto, vetou a participação de Elvia na mesma.

Para ver a gravidade da atitude, digna de qualquer ditador, veja o que Gê Alves, a outra jornalista perseguida por Anderson, conforme acima apontado, publicou sobre o fato:

Jornal da Manhã
Coluna UMAS & OUTRAS - Gê Alves

Censura
Enquanto o povo dá sinais de atitude democrática, o prefeito Anderson Adauto caminha na contramão e reage arbitrariamente contra a imprensa. Além das manifestações recentes, raivosas, agressivas contra jornalistas no episódio Caresami, ontem se superou. A bola da vez é a jornalista profissional Élvia Moraes, repórter de empresa de comunicação legalmente estabelecida, a Rádio Sete Colinas. Todos nós, da imprensa, fomos convidados pela Prefeitura, através da Diretoria de Comunicação, para coletiva com AA sobre a viagem que fará aos Estados Unidos.

Boicote
Lá, o anfitrião, mais que num ato de deselegância, mas de antidemocracia, de desrespeito à profissional, à liberdade de expressão e à imprensa de maneira geral, pediu sua assessoria que convidasse a colega a se retirar. Mesmo que a jornalista não tivesse sido convocada à coletiva, ela teria direito de participar como repórter que cobre o Gabinete pelo veículo que representa numa casa pública, concedida por um homem público.

Assédio
Élvia, profissional competente que é, se recusou a sair. Foi quando o prefeito contatou a direção da emissora. Num gesto coerente, firme e que merece elogios, a rádio determinou que a repórter não arredasse pé. A diretoria de Comunicação, mais uma vez chamada pelo prefeito, foi orientada a não mais permitir a estada da jornalista no Gabinete e boicotá-la no envio de notícias oficiais, públicas, digamos. Estou chocada, solidária à colega e sua atitude e, como diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, comuniquei imediatamente o fato à entidade.

Fonte:
http://www.jmonline.com.br/novo/?colunas,75,UMAS+%26+OUTRAS

Anderson Adauto, é o exemplo vivo de como é distorcido o sistema político e eleitoral de nosso país. Arrogante, autoritária e acusado nacionalmente por corrupção, consegue sempre se reeleger ou se eleger para algum cargo público, ainda que seu currículo seja autorizativo para ser banido do cenário político. É um cidadão que vive da política, desde sempre, nunca teve outra atividade (salvo agora que investe em cana), e se elege apoiado na premissa de que o que vale não é o candidato e suas idéias, mas sim a propaganda que faz durante o período eleitoral.

Propaganda paga com rios de dinheiro, não raro vindos de fontes ilegais, como o próprio Anderson Adauto já admitiu, ao confessar, em rede nacional, que praticamente todas as suas campanhas eleitorais  foram financiadas com caixa 2.

E o PT, que grande parte dos trabalhadores e muita gente da vanguarda continua acreditando, pasmem, é braço direito da administração deste projeto mal acabado de ditador.

Fica aqui minha solidariedade, bem como a do PSTU de Uberaba, partido que orgulhosamente milito, aos jornalistas de Uberaba, em especial às jornalistas Élvia Morais e Gê Alves e, ainda, ao departamento de jornalismo da rádio Sete Colinas.

PELA LIBERDADE DE IMPRENSA E DE EXPRESSÃO!

NENHUMA CONFIANÇA EM ANDERSON ADAUTO E NO PT!

BASTA DE DESMANDO E CORRUPÇÃO!

CADEIA PARA OS CORRUPTOS E EXPROPRIAÇÃO DE SEUS BENS!

PELA REVOGABILIDADE DOS MANDATOS DOS POLÍTICOS!

Adriano Espíndola Cavalheiro, pelo PSTU de Uberaba

Um comentário:

Anônimo disse...

e o mensalao continua em Uberaba. Toda obra publica recolhe para a mesada de 5% a 10 % do faturamento bruto. Empresarios sao coagidos ...se nao pagam a obra nao é homologada. A prefeitura usa sua usina de asfalto para prestar serviços para Usinas de Cana( que o Dr. Anderson é socio...) ta tudo perdido...antigamente os empresarios conropiam os politicos..agora é o contrario...

Ultimas postagens