\

Sejam bem vindos. O objetivo deste Blog é informar as pessoas sobre os mais variados assuntos, os quais não se vê com frequência nas mídias convencionais, em especial acerca dos direitos e luta da juventude e dos trabalhadores, inclusive, mas não só, desde o ponto de vista jurídico, já que sou advogado.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

VÍDEO E ENTREVISTA COM AMANDA GURGEL: A PROFESSORA CORAGEM

Amigos e amigas,

Abaixo reproduzi entrevista de Amanda Gurgel, a atual voz dos educadores em defesa da educação pública de qualidade.

Como vocês verâo, como eu, ela é militante do PSTU, sendo que suas posições reflete todo o debate que fazemos em nosso partido.

Conheça um pouco mais de Amanda e visite o site do PSTU para conhecer um pouco mais de nosso partido.

Abaixo a entrevista com a companheira e ao final o seu vídeo e atalhos para outras matérias.

Adriano.

-=-=--=-==-=

Amanda Gurgel: “É necessário transformar nossa angústia em ação”

Em entrevista ao Portal, a professora e militante do PSTU, Amanda Gurgel, que calou deputados no Rio Grande do Norte em discurso durante audiência pública, falou sobre a repercussão nacional de seu vídeo e o cenário caótico da educação no estado e no Brasil.
JOÃO PAULO DA SILVA
de Natal (RN), também escreve o blog ascronicasdojoao.blogspot.com

A professora e ativista Amanda Gurgel

Portal O vídeo em que você denuncia a situação precária da educação pública já superou as 100 mil visualizações no YouTube e chegou à lista brasileira dos Trending Topics, no Twitter. Como você vê toda essa repercussão?
Amanda Gurgel Em primeiro lugar, é importante falar sobre a minha surpresa diante de tamanha repercussão daquelas palavras que não são só minhas, mas de toda uma categoria, não só aqui no Rio Grande do Norte, mas em todo o Brasil, como se comprova nos diversos comentários postados sobre o vídeo. Também não imaginei que as pessoas que não vivem o nosso cotidiano não conhecessem à rotina de um professor e do funcionamento de uma escola pública. Então, diante de informações tão reais, acredito que a repercussão do vídeo se deve ao fato de minha fala ter sido dirigida à Secretária de Educação, Betânia Ramalho, à promotora da educação e aos deputados, figuras que ocupam postos elevados na sociedade, a quem as pessoas geralmente não costumam se reportar, tanto por não terem oportunidade quanto por se sentirem coagidas, ou por se sentirem inferiores. Enfim, talvez pela combinação desses dois fatores: tanto pela expressão de um sentimento contido, comum a todos nós, quanto pela atitude diante de deputados.
Portal O vídeo foi gravado durante uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Qual era a razão da audiência? Qual o objetivo daquele debate?
Amanda Gurgel Era uma audiência pública com o tema “O cenário da educação no RN”. O objetivo era debater as questões da educação no estado, apontando alternativas para os seus problemas. A princípio, não se pretendia discutir a greve dos professores e funcionários, mas diante da nossa presença essa intenção foi rechaçada.
Portal – Como você avalia a situação da educação pública hoje no Rio Grande do Norte e no Brasil?
Amanda Gurgel Não existe uma palavra que melhor defina a educação aqui no estado e no Brasil do que caos. Um caos generalizado que começa na nossa formação e vai desde a estrutura precária das escolas, passando pelo caráter burocrático que ganharam as funções de coordenação pedagógica e direção, a superlotação das salas de aula, a demanda não suprida de professores chegando, finalmente, à remuneração do trabalhador que constitui a representação material do valor que é dado a nossa profissão. Mas, obviamente, todo esse caos não acontece por acaso. Há uma clara intenção da burguesia em manter a classe trabalhadora excluída dos processos que propiciem o desenvolvimento intelectual. Com isso, ela alcança dois objetivos: garante que os trabalhadores não atinjam altos níveis de cultura e pensamento crítico, conseguindo, no máximo, serem alfabetizados e aprenderem um ofício; dividir a classe trabalhadora, colocando-a em lados aparentemente opostos, como é o caso, muitas vezes, da relação entre professores e alunos ou as suas mães e os seus pais. É comum as pessoas acreditarem que greves prejudicam os alunos, quando é justamente o contrário: somente nas greves temos a oportunidade de abrir para a sociedade, os problemas que nós nos acostumamos a administrar no nosso cotidiano e que nos impedem de realizar o nosso trabalho. Somente nas greves podemos obter conquistas para a educação, pois, ainda que muitos já tenham sido envolvidos pelo discurso de que há outros mecanismos de luta que não a mobilização das massas, não é possível encontrar um caso em que nossos direitos tenham sido conquistados de outra forma. Os discursos de aparente conciliação servem apenas para mascarar ainda mais o fato de que a educação nunca foi prioridade para nenhum governo. Se não fosse assim, Dilma não teria cortado R$ 3 bilhões da educação nos primeiros dias do seu governo. Então, é necessário, em cada lugar do Brasil, transformar nossa angústia em ação. Não podemos baixar as cabeças atendendo às expectativas da burguesia. Precisamos mostrar a nossa consciência de classe e a nossa capacidade de organização.
Portal – A greve da educação no Rio Grande do Norte já atingiu mais de 90% das escolas, chegando até a 100% em regiões do interior. Na sua opinião, quais são as perspectivas da paralisação?
Amanda Gurgel Já contamos pouco mais de vinte dias de greve e a governadora Rosalba Ciarlini ainda não acenou com nenhuma proposta, tampouco uma que contemplasse as nossas reivindicações. Diante disso, a categoria tem reagido da melhor forma possível: lutando. A cada assembleia, recebemos informes de adesão das cidades do interior. Certamente, Rosalba e Betânia (secretária de educação) preparam alguma retaliação, mas estão enganadas se pensam que estamos para brincadeira. Não retornaremos às escolas sem o cumprimento do Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos funcionários, a revisão do Plano dos professores, a aplicação da tabela salarial dos servidores e o pagamento de direitos atrasados. A arrecadação do Estado aumentou consideravelmente. Segundo o Dieese, só no primeiro trimestre desse ano, foram R$ 776 milhões de ICMS, o que representa R$ 110 milhões a mais do que no mesmo período do ano anterior. Além disso, de janeiro a abril, o Estado recebeu R$ 214 milhões de FUNDEB, cerca de 54 milhões a mais do que no ano anterior. Portanto, o momento não é para choradeira. O momento é para apresentação de propostas e negociação.
Portal – Você é militante do PSTU. Como aconteceu essa aproximação com o partido?
Amanda Gurgel Fui ativista do movimento estudantil e dirigente do Centro Acadêmico de Letras e do DCE da UFRN. Nessa época, tinha uma relação próxima com o PT, mas ao ingressar na categoria dos trabalhadores em educação, toda a imagem de movimento sindical que eu construíra ao longo da minha vida foi sumariamente desconstruída quando constatei a forma como a direção do PT/PCdoB dirigia a nossa entidade e utilizava a categoria como moeda de troca para benefícios próprios. Na segunda assembléia de que participei, já era oposição convicta. Mas, como havia outras oposições, aos poucos fui me localizando. Participei do congresso de fundação da Conlutas, passei a construir a oposição e algum tempo depois fiz uma reflexão e já não conseguia entender como eu podia ver que militantes tão obstinados dedicassem suas vidas à verdadeira defesa da classe trabalhadora, à defesa da classe a que pertenço, enquanto eu apenas trabalhava, trabalhava e cuidava da minha vida. Entendi que era minha obrigação dividir com eles, meus e minhas camaradas, essa tarefa. Por isso, eu entrei no PSTU.
Abaixo o vídeo da Professora Amanda Gurgel, vale à pena.
depois do vídeo tem um atalho pra outra postagem interessante.
Adriano
Veja ainda:
A traição de Hugo Chávez, clique aqui
Nakba ("Catástrofe"), um poema sobre a causa palestina, clique aqui

16 comentários:

Anônimo disse...

Professora o seu discurso não calou somente o Governo que, agora, comeu abiu, mas, também os sindicatos pelegos como o SINTEAM, no Amazonas. Venha fazer uma palestra aos professores amazonenses.

Anônimo disse...

Eu gostaria de parabenizar essa guerreira que de fato é, uma vez que em sala de aula ganhando esse mísero salario peitou politicos e chefes de educação mostrando a eles a realidade.
E ainda mais dando coragem a muitos colegas que pensam e nunca falam.
Parabéns Amanda!
Que tal se candidat pra ser a proxima Prefeita, garanto que fara muito em prol da educação.
Pense nisso.

Conselho Comunitário de Cidade das Flores e Cidade das Rosas S. Gonçalo RN disse...

Parabéns Amanda!

Você soube exercer com sabedoria e autoridade a sua cidadânia ao defender uma causa de muitos oprimidos.

Além do que reforçou com sua atitude o que diz o Art. 1º da nossa Constituição Federal "todo poder emana do povo"

Amanda,você expressou toda a indignação da sociedade, e hoje no Fautão sem dúvida se tornará um dos simbolos da nova era da educação no Brasil.

Anônimo disse...

Amanda, vc falou o que a categoria não tinha coragem de falar! Agora, Espero que toda a classe, neste momento se una em prol desta causa, que é a melhoria de condições de trabalho, pois o primeiro passo já foi dado... Vai lá gente! vcs fazem a diferença neste país! afinal,são EDUCADORES!!!!!!!!!
Não sou educador,mas tenho filhos estudantes e, EU ABRAÇO A CAUSA!!!

Anônimo disse...

Gostaria de deixar aqui o meu muito obrigado a você Amanda que teve a coragem de denunciar o caos que é nossa educação, não só no seu estado como também a nível de Brasil.Sou professora no estado de Goiás e também estamos passando pelo mesmo descaso na educação em nosso estado pelo o nosso governador e pelo nosso secretário de educação Tiago Peixoto.

Anônimo disse...

Gostaria de deixar aqui o meu muito obrigado a você Amanda que teve a coragem de denunciar o caos que é nossa educação, não só no seu estado como também a nível de Brasil.Sou professora no estado de Goiás e também estamos passando pelo mesmo descaso na educação em nosso estado pelo o nosso governador e pelo nosso secretário de educação Tiago Peixoto.

Anônimo disse...

Parabéns e obrigada por defender nossa classe com tanta bravura e sabedoria!!

Anônimo disse...

Parabéns e obrigada por defender nossa classe com tanta bravura e sabedoria.

Anônimo disse...

Amanda, parabéns pela belíssima forma de defender nossos direitos, enquanto que no nosso estado há promotores fiscalizando o acumulo de cargos na educação, deveria sim fiscalizar é que acontece com o salário do educador ao se aposentar na rede municipal perde metade do salário, onde deveriam ganhar melhor visto que nesta etapa da vida começa a aparecer doenças,o plano de saúde é bem mais caro.
Como sabemos, todo profissional passa pelas mãos de um educador, por que tão mal remunerado?
A injustiça é tanta que algumas pessoas que terminam uma faculdade na área de educação não assumem uma sala de aula.
Sucesso para você sempre, acredito que Deus te deu a oportunidade de está naquela assembleia para que uma luz acendesse na educação brasileira.

Fátima disse...

Amanda seu discurso aponta um problema que se estende a anos que que nenhum governante até agora enfrentou com seriedade, a minha realidade aqui no Vale do Ribeira não é diferente o que me deixa revoltada é essas reportagem que a globo realiza nunca sorteiam um município do Vale do Ribeira,onde o professor da zona rural paga o passe escolar sozinho sem ajuda de custo e para piorar paga merendeira para poderb ter mais tempo para dar sua aula.As salas são multisseriadas.Eu me pergunto será que ministério da educação tem noção de como os município está administrando a educação.O nosso salário é 836,00 ensino fundamental , 706,00 ensino infantil. Não chegamos a receber o que é exigido no novo piso.

Anônimo disse...

Professora Rita...
Parabéns professora Amanda,sou do Paraná, aqui já avançamos muito através de lutas, com o sindicato, e cobranças das autoridades competentes,mas estamos do seu lado e juntas deveremos lutar para derrubar o fator previdenciário que está nos impedindo de nos aposentar depois de 25 anos de trabalho, que temos que trabalhar até os 60 anos para podermos ganhar o salário quase integral, caso contrário ganharíamos o salário mínimo.Pelo menos para os profissionais da educação. Vamos lá professores!!!

professora Rita disse...

Professora Rita...
Parabéns professora Amanda,sou do Paraná, aqui já avançamos muito através de lutas, com o sindicato, e cobranças das autoridades competentes,mas estamos do seu lado e juntas deveremos lutar para derrubar o fator previdenciário que está nos impedindo de nos aposentar depois de 25 anos de trabalho, que temos que trabalhar até os 60 anos para podermos ganhar o salário quase integral, caso contrário ganharíamos o salário mínimo.Pelo menos para os profissionais da educação. Vamos lá professores!!!

Helena disse...

Professora Amanda. Tb sou profe e sei q suas palavras estão na mente de todos os demais colegas de profissão, por isso agradeço a sua coragem e oportunidade de falar aos brasileiros, políticos ou não, qual é a real situação do nosso trabalho diário. Precisamos de manifestações como essa em todos os cantos do país, com adesão dos pais e a comunidade.
Um abraço! Profe Helena

Anônimo disse...

Fiquei impressionada com sua coragem,e gostaria que todos os professores se unissem por essa luta,que não é só sua.
O que acontece aí é uma realidade no Brasil todo.
Com a sua coragem você merece chegar no congresso em Brasília.

Anônimo disse...

Há críticas à Amanda Gurgel, vcs acreditam?
Eu acredito pq ouvi, mas sei que existem. A classe burguesa, aquela que ganha várias vezes 930reais está chamando-a de sindicalista, de socialista e etc.
E aí? ninguém se lembra do presidente que mudou a cara do Brasil aqui e lá fora? Quem foi este homem? foi um sindicalista, aliás o sindicalista, não foi um professor foi um metalúrgico, com todo respeito. Então professora, sindicalista ou não vc é porta voz dos educadores do Brasil. Doa em quem doer.
Graça Paiva- Educadora.

Anônimo disse...

parabens amanda ,vc disse toda verdade sobre a educaçao no nosso pais,e aqui em minas recebemos e o salario minimo e muito discaso com nossa classe...espero que os governantes tomem uma decisao sobre a educaçao,incluindo tb os municipios e a calamidade de salarios...mariza

Ultimas postagens